Nessa história, o lobo Lucas decide sair de casa; sua família entristecida pela notícia entrega uma lista de itens que o lobo pode comer.

Na sua jornada, o lobo encontra todos os personagens que estavam na lista, mas por ser sentimental não os come. Não come os porquinhos que o fazem lembrar de seus irmãos, não come as cabritinhas porque teria que comer a família toda, não consegue comer a chapeuzinho vermelho porque a avó dela disse que era o sol da vida dela. Porém, já com muita fome encontra uma casa que mora um gigante, muito mal-humorado. Sem mais delongas, o lobo o ingere. E salva dentro da casa do gigante, o pequeno polegar e seus irmãos.

Um livro para ler e para tocar!

Aqui na UNIEPRE Cantareira, nossas crianças adoram ler esse

livro; já conhecem bem a história a ponto de recontá-la.

A mamãe cabrita sai de casa para comprar o almoço, e adverte os cabritinhos para não abrirem a porta para o lobo, que possui uma voz grossa e patas acinzentadas.

Mas, o lobo aparece e até muda a voz para um tom suave e pinta a pata com farinha para enganar os cabritinhos. Ele consegue entrar na casa e come 6 cabritinhos, sendo que um consegue se esconder a tempo.

Quando a mamãe volta e encontra esse cabritinho, começa a procurar o lobo, que está descansando embaixo de uma árvore. Quando o encontra utiliza uma tesoura para abrir sua barriga, tira seus filhinhos de dentro da barriga do animal, e os substitui por pedras.

Assim, o lobo acorda com sede, e quando foi beber água no poço caiu, afundou e sumiu lá no fundo.

Era uma vez a história de Rolf, um lobinho bom, que gostava de bolos, comia todos os legumes, e era sempre legal com os amigos.

Um dia, a dona Julieta lhe disse que nem todos os lobos eram bons.

E, foi assim que ele encontrou o Grande Lobo Mau. O lobo explicou que para ser um lobo, ele deveria uivar ao luar, mas o lobinho só conseguir assobiar. Um lobo deveria derrubar casas, mas o lobinho também não conseguiu. E, por fim, um lobo deveria comer gente. Quando o lobo mau chegou perto de dona Julieta o lobinho bom ficou muito corajoso e amarrou o lobo mau.

E assim, uivou! Agora ele se sentia como um verdadeiro lobo.

Dona Julieta convidou o Grande Lobo Mau para lanchar, e o lobinho bom perguntou para ele se ele pararia de comer pessoas. O lobo respondeu: – É… Acho que sim…Vou parar amanhã sem falta.

E, então, come o lobinho bom e dona Julieta.

Por Miss Stephanie
Unidade Cantareira
www.escolauniepre.com.br