O tempo de Mário Quintana.

A vida é o dever que nós trouxemos para fazer em casa.
Quando se vê, já são seis horas!
Quando de vê, já é sexta-feira!
Quando se vê, já é natal…
Quando se vê, já terminou o ano…
Quando se vê perdemos o amor da nossa vida.
Quando se vê passaram 50 anos!
Agora é tarde demais para ser reprovado…
Se me fosse dado um dia, outra oportunidade, eu nem olhava o relógio.
Seguiria sempre em frente e iria jogando pelo caminho a casca dourada e inútil das horas…
Seguraria o amor que está a minha frente e diria que eu o amo…
E tem mais: não deixe de fazer algo de que gosta devido à falta de tempo.
Não deixe de ter pessoas ao seu lado por puro medo de ser feliz.
A única falta que terá será a desse tempo que, infelizmente, nunca mais voltará.

 

O tempo passa muito rápido, como diz o poema de Mário Quintana. Quando menos se espera já é sexta-feira; “será que conseguirei entregar tudo no prazo?”, “preciso reagendar minha consulta”, “está faltando cebola em casa”, “como preenche essa planilha?”, “o que será que meu filho está fazendo?”

Pais vivem com constante perguntas em suas mentes, de casa, dos filhos e do trabalho. Afinal, muitos estudaram muito, e se esforçaram intensamente para ter uma ascensão na carreira. Porém, qual é a prioridade?

Ao se tornarem pais, suas prioridades mudam, e há um acúmulo de responsabilidades, que muitas vezes as pessoas não dão conta.

O que fazer? Como organizar o tempo entre casa e trabalho tenha qualidade? E que o tempo com os filhos seja priorizado?

Infelizmente, não há uma receita pronta. E o tempo não para.

Por isso, seguem algumas dicas que podem ajudar a manter um equilíbrio.

 

Esteja presente, no trabalho ou em casa, foque nas relações com as pessoas a sua volta. Tente criar momentos com seus filhos, como brincadeiras, mímicas, vestir fantasias, ouvir música, completar um quebra cabeça, jogar dominó, andar de bicicleta, ler um livro , pular corda, criar esculturas de massinha e etc.

Tente incluir seu filho nas tarefas diárias da casa. Assim, ele terá um senso de responsabilidade, sentir-se-á útil, e feliz de poder estar junto e ajudar, por exemplo colocando guardanapos na mesa, retirando o prato, regando as plantas, preparando a lista de compras, fazendo as compras, colocando a roupa no cesto de roupas sujas, ajudando a preparar o jantar. Envolver a criança nas tarefas estreitará o vínculo, e pode aliviar um pouco a demanda do ambiente domiciliar.

Seja honesto com a criança. Quando estiver cansado, e precisar de um tempo para você mesmo, diga a ela, explique que é normal as pessoas quererem ter um tempo para descansar. E, depois, faça algo com ela, mostrando assim segurança emocional.

Converse com a pessoa que cuida da sua criança em outros momentos, seja babá, avó, ou na escola, pois elas  precisam ter consistência do que dizem e fazem no ambiente familiar; precisam “falar a mesma língua” que você.

O mais importante é não se cobrar, pois não é sempre que você conseguirá conciliar tudo. É um desafio, e desafios existem para serem superados. Respire fundo, e respire de novo.

“Quando a mente descansa, o mundo também descansa”.
Haemin Sunim

Por Miss Stephanie
Unidade Cantareira
www.escolauniepre.com.br