Através dos sentidos as crianças conhecem o mundo; por meio do olfato descobrem o aroma suave da lavanda; com o paladar descobrem gostos e desgostos; por meio da audição encontram a magia da música; a visão proporciona a alegria de ver o voo de um beija-flor, e o toque traz calma, afeto, amor e amparo.

Porém, antes dos três anos a criança está adquirindo as regras de convivência social, não tendo, muitas vezes, o discernimento do que pode ou não colocar na boca.

Portanto, todo cuidado é pouco!

Nosso objetivo, junto as nossas crianças nesse período sensível, é aprimorar suas percepções do mundo, através dos sentidos.

Um dos caminhos para aflorar seus sentidos é favorecer inúmeros materiais para exploração, podendo dessa forma experimentar diferentes técnicas e instrumentos.

Na UNIEPRE, os materiais e o espaço assistem as crianças a criarem diversas expressões do seu “eu” interior para o exterior.

Nas pré-escolas Reggio Emilia cada criança é vista como infinitamente capaz, criativa, e inteligente. O trabalho do professor é suportar estas qualidades e desafiar os alunos das formas mais apropriadas.” Louise Boyd Cadwell

Ao contrário do que muitos acreditam, a inteligência não se adquire lentamente. A criança está sempre desperta para o mundo, e nele há muitas informações o tempo todo: são as vozes da mãe e dos familiares nos primeiros meses de vida, é a sucção do leite materno, o apoio de pés, ver e agarrar um brinquedo, são muitos estímulos que a rodeiam. Por isso, aprendem rapidamente com as sensações do mundo.

De acordo com Maria Montessori, a atenção dada ao ambiente pelo educador, a organização das ferramentas manuais, e a compreensão de manter e oferecer um ambiente acolhedor e afetivo é o que assistirá a criança a elaborar a organização da própria mente e do mundo.

Um dos períodos sensíveis experimentados pelas crianças é o de gravar as imagens por meios de sentidos. É examinando o ambiente a sua volta que ela interioriza a razão.

“O raciocínio, como função natural e criativa, germina paulatinamente como uma coisa viva que cresce e se concretiza a custa das imagens que assume do ambiente.” (MONTESSORI, 1936, p.78).

Através de materiais preparados e carinhosamente pensados previamente, é possível alimentar suas mentes brilhantes. As crianças precisam de experiências sensoriais que possam encorajar sua criatividade e concentração entre mente e corpo.

Por Miss Stephanie
Unidade Cantareira
www.escolauniepre.com.br