Pensar a escola como direito da criança pressupõe acreditar que na primeira infância é possível vivenciar experiências, interações, e descobertas incríveis em espaços coletivos.

Nós, da UNIEPRE, acreditamos que um dos motivos para a criança frequentar uma escola é a interação que ela, com certeza, realizará nesse espaço.

É importante pensar que existem várias formas de conviver na coletividade: frequentar lugares onde é possível interagir com crianças de maneira esporádica e por um curto período, como aniversários, parques, casa dos primos, etc. O que é muito diferente de estabelecer vínculo diário com o mesmo grupo de crianças de idades bem próximas.

A frequência das interações favorece o lidar com sentimentos e emoções importantes para um bom amadurecimento emocional; por exemplo, aprender a conviver com um amigo que é mais dinâmico, com outro que é bem tranquilo, com um colega que quer o mesmo brinquedo, com um outro que não quer brincar. Assim, a criança vai, aos poucos, compreendendo que viver em grupo e se sentir pertencente exige ver o outro como alguém diferente, interessante, que traz possibilidades, traz algo novo, ou algo velho que tanto agrada, bem como viabiliza compreender que os conflitos fazem parte das relações, e que são eles que propulsionam novos saberes e estreitamento de laços afetivos.

A escola que tem consciência dessas vicissitudes, que tanto contribuem com o saber conviver, traz nos seus princípios e ações espaço e tempo para o encontro com o outro.

Esse aprendizado de saber conviver com o diferente é fundamental e determinante para a vida adulta.

Portanto, venha conhecer nossa escola e nossa proposta de trabalho, que faz da Primeira Infância um período de aprendizados e prazeres saudáveis para os pequenos!

Por Patricia Bignardi
Gerente do Núcleo Pedagógico – UNIEPRE
www.escolauniepre.com.br