Será que precisou chegar um vírus para que tantos protocolos fossem criados nas escolas da primeira infância?

• Só assim as crianças conseguirão o direito à uma alimentação saudável e adequadamente preparada?

• Um local limpo, individualizado e organizado para a higiene corporal?

• A garantia de pertences e kits de higiene identificados e de uso exclusivo?

• A formação do hábito do autocuidado, como por exemplo, lavar as mãos com frequência?

• O direito básico do uso de copos e talheres individuais?

• O direito ao espaço de sono tranquilo, com enxoval para uso único?

• Espaços ventilados, higienizados, com materiais adequados para cada faixa etária garantindo o livre brincar?

• O número de adultos suficiente para atender as crianças de forma que todas tenham atenção e disponibilidade?

O que será que as crianças ganharão com essa pandemia?


A UNIEPRE acredita que essa seja uma oportunidade para muitas escolas infantis reverem suas condutas e fazerem valer os verdadeiros direitos das crianças, os quais pouco ou nada tem a ver com o vírus. A prática, agora com roupagem de aprimoramento na grande maioria das escolas, na UNIEPRE já acontece há 31 anos!