cesto-de-tesouros-1

Professores de escolas infantis, na sua grande maioria, já experimentaram sessões da brincadeira do cesto de tesouros com os bebês. Porém, refletir sobre os sentidos que essa prática tem, e também, as maneiras que os cestos são ofertados às crianças, nunca serão questões demasiadas!

O cesto dos tesouros é uma proposta de brincadeira, organizada pelo adulto, para ser experimentado por crianças pequeninas, logo que começam a se sentar e ainda não se deslocam muito pelo ambiente, por volta dos 6/7 meses até os 12.

O cesto deve ser sem alças, firme e plano, ter medidas que sejam iguais ou se aproximem de 35 centímetros de diâmetro e de 8 a 12 centímetros de altura, feito de material natural.

Promover sessões para a exploração, pelos bebês, do Cesto de Tesouros (GOLDSCHMIED e JACKSON, 2006) faz muito sentido para nós educadores quando relacionamos o conceito dessa brincadeira, com o conceito do brincar sob o ponto de vista da criança pequena, especialmente para os bebês no período em que começam a sentar por si mesmos.

O bebê é um ser capaz de brincar e explorar objetos e investigar as possibilidades de jogo proporcionadas por eles. Diante do cesto, essa capacidade pode ser potencializada por meio dos desafios que lhes são expostos na exploração dos objetos, que se apresentam distintos em cor, cheiro, tamanho, textura, peso e temperatura. O tamanho adequado para os objetos deve atender a um critério básico: ser maior do que cinco centímetros.

Para a montagem do cesto, precisamos considerar algumas questões que garantirão a manutenção dos princípios originais da brincadeira, são elas:

  1. Nunca incluir objetos de plástico;
  2. Utilizar objetos naturais e feitos com materiais naturais;
  3. Os objetos devem ser lavados após cada sessão;
  4. Os objetos devem ser trocados de tempo em tempo.

Durante a exploração, os bebês passam por experiências importantes para o desenvolvimento dos cinco sentidos e têm favorecidas: a concentração, a autonomia, o movimento, as capacidades de escolher e explorar, o pinçar entre outras habilidades importantes para o desenvolvimento infantil.

Promover sessões para os bebês no cesto dos tesouros é dar oportunidade aos pequenos para que, por meio da investigação e da exploração dos objetos, eles leiam sem letras e, ao mesmo tempo, comuniquem as suas emoções, as suas preferências e os desejos, tudo isso, sem palavras!

Por Sheilla André
Gerente do Centro de Formação UNIEPRE