Por que as crianças adoram brincar com objetos que não são brinquedos?

Essa é uma dúvida comum entre muitas mães e educadores de crianças pequenas.

Por que é tão comum as crianças preferirem bacias, copos, forminhas, colheres de pau, peneiras, pequenos potinhos, as chaves do carro, ou qualquer outro objeto simples que tenha na sua casa, do que brinquedos lindos e, muitas vezes, caros que compramos? Você já parou para prestar atenção como as crianças adoram brincar com esses objetos?

A explicação é simples…. As crianças são pesquisadoras, verdadeiras investigadoras e simplesmente se atiram, e se debruçam sobre uma série de testes e experiências. Viram daqui, amassam dali, espremem, jogam para um lado e para o outro, passam as mãozinhas, experimentam inúmeras situações destes “brinquedos”, para depois chegarem às suas próprias conclusões sobre o mundo, a partir dessas experiências.

Por que as crianças adoram brincar com objetos que não são brinquedos?

Na verdade, os brinquedos prontos, na maioria das vezes, pouco oferecem para as crianças, porque não estimulam tanto a criatividade e a capacidade de construir das crianças, ou seja, algo como uma bula de remédio, um manual de como se brincar, de como se deve utilizá-los e que as direcionam para exatamente o que elas devem aprender com aquilo. A grande questão é que com isso, as crianças, desde muito pequenas acabam ficando restritas a uma maneira de brincar específica.

O que devemos pensar e nos questionar:  será que no momento em que o cérebro da criança mais pode aprender e absorver as informações externas, ele deveria ficar preso às “regras do jogo”? Será que não seria justamente nesse período o momento mais apropriado para expandir sua criatividade e aprendizado?

Por que as crianças adoram brincar com objetos que não são brinquedos?

Nós, da escola UNIEPRE, acreditamos que devemos proporcionar às crianças a possibilidade de explorar objetos simples do dia a dia, de forma que possam ter a oportunidade de expandir suas ideias, sua criatividade, suas percepções sobre o mundo e suas sensações, lembrando sempre que, nessa idade, o toque e as atividades exploratórias são tão importantes quanto a alimentação.

Um simples toquinho de madeira pode se transformar em um avião, ou quem sabe em um carrinho de corrida. Vale tudo o que a imaginação da criança permitir e, saber criar suas próprias brincadeiras sem brinquedos, é importante para o desenvolvimento infantil.

Outro ponto importante sobre os brinquedos não estruturados, assim chamados os objetos que não foram feitos para ser brinquedos, mas que viram brinquedos na mão das crianças, é que estes não contemplam apenas objetos de plástico. Percebe-se atualmente que muitos dos brinquedos oferecidos às crianças são feitos, na grande maioria das vezes, de plástico ou de materiais sintéticos. Qual a real qualidade de experiências sensoriais que os objetos de plástico podem oferecer? Sendo assim, oferecer diferentes materiais como: madeira, tecido, metal, palha, borracha, plástico, etc…pode ser uma rica experiência para os pequenos.

Esses e outros assuntos abordaremos no nosso próximo curso sobre a Primeiríssima Infância & Abordagem Emmi Pikler!

Curso Educação Infantil na Primeiríssima Infância

Também, estaremos à disposição das famílias que quiserem se aprofundar um pouco no assunto no próximo sábado, dia 04 de fevereiro, no Plantão de Matrículas, na nossa unidade de Educação Infantil particular localizada à Avenida Nova Cantareira, nº 3.207, zona Norte de São Paulo.

Plantão de matrícula

Por: Flávia Vasconcellos Gusmão
Diretora – UNIEPRE