Na UNIEPRE, realizamos anualmente projetos relacionados à saúde preventiva, como: saúde bucal, saúde fonoaudiológica e saúde oftalmológica. Consideramos esse trabalho fundamental para o bom desenvolvimento de nossas crianças, à medida que este cuidado proporciona que a atenção de cada especialista seja individualizada para cada criança e, quando necessário, seja encaminhada a tratamentos específicos.

Em abril será realizado o projeto fonoaudiológico na unidade Cantareira

Por: Ellen Del Grande
Gerente Núcleo Saúde UNIEPRE

Como favorecer a Linguagem e a Fala da sua criança

Os órgãos utilizados para a comunicação oral são os que utilizamos para a alimentação e a respiração. Assim, para o desenvolvimento da fala, precisamos ter as estruturas orais íntegras para que possamos exercer suas funções adequadamente.

Por isso,  alimentação nos primeiros meses de vida tem um papel importante no desenvolvimento da motricidade orofacial e das funções, como:

  • A sucção;
  • A deglutição;
  • A mastigação e
  • A respiração.

Todas estas funções estimulam o desenvolvimento ósseo e muscular da face e da produção correta dos sons da fala.

Após sabermos e termos conhecimento do quanto a alimentação é importante para a produção da fala, devemos estimular, tanto a fala quanto a linguagem oral, através de bastante conversa com a criança e o bebê, ouvindo os com muita atenção.

Bebês e crianças pequenas possuem um vocabulário mais restrito e podem não se expressarem convencionalmente quando desejam relatar algo. Deixá-los tentar falar e “cometer erros” faz parte do aprendizado. Quanto mais as crianças forem expostas à comunicação, mais aprenderão.

Já as crianças maiores têm muitas novidades para compartilhar com as famílias e com os amigos, mesmo que ainda não dominem a comunicação com grande eficiência.

Na primeiríssima infância, a melhor maneira de favorecer as habilidades da linguagem oral é através de atividades como jogos, brincadeiras, histórias e músicas. Ouví-las com interesse faz com que percebam que o que dizem é importante para os outros. Conversar sobre como foi o seu dia, o que aprendeu, com que se divertiu, e compartilhar histórias de livros são ótimas estratégias para estimular e expandir a fala e a linguagem oral.

Projeto Fonoaudiológico

Algumas vezes essa estimulação não é suficiente para promover um desenvolvimento pleno. Nesses casos, a orientação de um profissional da clínica de fonoaudiologia se faz necessária.

As alterações da linguagem oral mais frequentes são:

  • Demora em começar a falar;
  • Dificuldade na fala quanto à produção dos sons-fonemas;
  • Dificuldades na fala quanto à fluência – repetição e hesitações – que podem variar em grau de intensidade;
  • Substituições de um som por outro, como por exemplo: Parede por palede, ou avião por afião;
  • Omissões de sons, como por exemplo: Porta por pota, ou grande por gande;
  • Distorções de sons, como por exemplo: Ceceio – projeção da língua nos sons /s/e/z/ entre as arcadas dentárias.

No transtorno fonológico severo, a fala da criança pode ser relativamente ininteligível até mesmo para os membros de sua família.

Na clínica de fonoaudiologia, o profissional estará apto para identificar essas alterações e orientar sobre a melhor conduta.

Fonoaudióloga- Giuliana M.Ribeiro
CRFª 13006